Redação Onde.ir

Aprovado empréstimo da prefeitura ao Hospital Arcanjo São Miguel

crop_fachada-hospital_02082017153810.JPG

Após reuniões e conversas sobre a questão do novo empréstimo ao Hospital Arcanjo São Miguel, na noite de ontem (15), os Vereadores aprovaram a proposta de repasse de até R$ 3,6 milhões a entidade.

Conforme explicado em encontro nesse valor de R$ 3,6 milhões estão os R$ 2 milhões do empréstimo realizado pela Prefeitura e Hospital, em meados de setembro de 2017, que será amortizado no ato de repasse do recurso público ora contido nesta proposição.

Ainda cabe destacar que desde o início de 2017 os Vereadores estão pleiteando uma auditoria nas contas do Hospital. “Tentamos contratar uma auditoria, mas por lei não podemos, então uma exigência da Câmara em relação a esse projeto é que o Executivo contrate auditoria. Na sexta-feira passada, nos reunimos com os responsáveis pelo Hospital para entender melhor a situação, o porque de estarem novamente pedindo empréstimos à Prefeitura. Eles afirmam que precisam dos valores para pagar a folha de pagamento, e para sanar os empréstimos feitos com a própria Prefeitura no ano passado. O Dr. Marcio Muller que é o representante do corpo clínico, afirmou que mesmo sendo colocados em dia os pagamentos atrasados, os médicos só irão continuar trabalhando se os próximos pagamentos se mantiverem em dia, ou seja, não resolve de imediato a situação de greve dos procedimentos eletivos no Hospital. Nós Vereadores ficamos em uma situação muito difícil porque não podemos desamparar os serviços de saúde, mas, mais uma vez vamos autorizar um repasse no escuro, porque os dados não estão sendo totalmente abertos e além disso, a Prefeitura não pode ser usada como banco, pois os valores saem da Secretaria de saúde, ou seja menos investimentos atenção básica, postos de saúde, prevenção. Ressalto que estamos exigindo uma auditoria nas finanças do Hospital, mas esperamos também uma decisão definitiva do Prefeito sobre o que vai fazer com a entidade”, explicou a presidente do Legislativo, Manu Caliari.

O valor repassado a título de empréstimo deverá ser quitado em 11 parcelas, conforme tabela abaixo:

O Município de Gramado não realizará a cobrança de encargos financeiros e juros. Em caso de atraso e/ou impossibilidade de recebimento das parcelas do empréstimo, será acrescido ao valor juros de 1% ao mês, mais o índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), da Fundação Getúlio Vargas (FGV), ou outro índice que vier a substituí-lo, por dia de atraso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *