Redação Onde.ir

“O Matador” é o western brasileiro pelos olhos de Marcelo Galvão

o-matador.JPG

De volta ao Festival de Cinema de Gramado – de onde saiu, em 2014, com o Kikito de Melhor Diretor por “A Despedida” – Marcelo Galvão já virou habitué do evento. “É tudo incrível: o carinho, a recepção, a atenção. Aqui é a minha casa”, admite.

Em 2017, voltou à serra gaúcha para apresentar “O Matador”, um western brasileiro com todos os elementos clássicos do gênero, com grande quantidade de personagens, locações e figurinos. “Fazer um western sempre foi um desejo, já que sou fã de bang bang italiano. Na verdade, o desafio foi fazer uma superprodução, um filme de ação, o que hoje encaro como algo que pode me abrir portas”, aposta.

“Temos contexto histórico para produzir western. O cangaço é real e precisamos lançar olhares diferentes para histórias como essa”, completa.

Primeira produção Original Netflix realizada no Brasil, o longa estreia ainda no segundo semestre de 2017, sem data definida. Por falar na plataforma on demand, Galvão rejeita qualquer polêmica ou provocação que possa ser feita acerca da valoração de obras produzidas especialmente para esse formato. “O que a Netflix quer é promover o filme, não a sala de cinema. Isso é importante porque quando penso em fazer o longa, penso prioritariamente na obra, não necessariamente para onde ela vai”, conta, para logo completar: “O meu filme foi para o cinema sim. Ele está aqui em Gramado!”

Projetos no horizonte apontam que a aposta em gêneros menos tradicionais no Brasil é um caminho a ser seguido na carreira do cineasta: atualmente, Galvão já prepara novos trabalhos que variam do gênero fantástico ao terror.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *