Notícias

Polícia diz que ex-namorados  pagaram por tortura e morte de garoto de programa no RS

Fernando foi morto com mais de 100 golpes de faca em Porto Alegre (Foto: Reprodução/Facebook)

Três pessoas foram presas e duas adolescentes apreendidas por envolvimento na tortura e morte de um garoto de programa no final de 2017, conforme divulgou a Polícia Civil, na manhã desta terça-feira (13). Fernando Chaves Gomes, de 21 anos, era garoto de programa e teve a morte encomendada por um homem e uma mulher que haviam se relacionado com ele, e se uniram após o fim dos dois relacionamentos.

Fernando era natural de Parobé, no Vale do Paranhana, mas vivia em Passo Fundo, no Norte do Rio Grande do Sul. O corpo dele foi localizado pela polícia em uma rua do bairro Mario Quintana, na Zona Norte de Porto Alegre, no dia 16 de dezembro, com mais de 100 perfurações a faca nas costas, pescoço e cabeça.

Durante a investigação, a polícia descobriu que a morte dele havia sido encomendada por duas pessoas que haviam mantido relacionamento com ele: uma mulher de 33 anos, que vive em Parobé, e um empresário de 34 anos, de São Paulo.

Ele havia conhecido a mulher em sua cidade natal. Já o empresário, Fernando conheceu durante uma temporada em que viveu em São Paulo, onde tentou seguir na carreira de modelo. Ele e o empresário ficaram juntos por cerca de seis meses, tendo se encontrado inclusive no Rio Grande do Sul.

O empresário de São Paulo, no entanto, teria ficado inconformado com o fim do relacionamento, e encontrou pelas redes sociais a a ex-namorada de Fernando em Parobé. Foi quando os dois arquitetaram um plano para matar o ex que tinham em comum.

A polícia acredita que a mulher foi a responsável por contratar os executores do crime em Porto Alegre. O plano contou com a participação de duas adolescentes. Uma delas foi a Passo Fundo, uma semana antes do crime, onde contratou os serviços sexuais de Fernando.

Após o primeiro contato, a jovem, segundo a polícia, convidou Fernando para viajar até Porto Alegre, onde faria um novo programa, desta vez acompanhada de uma amiga. A polícia teve acesso a imagens que mostram o momento em que a vítima foi apanhada pelas duas na rodoviária.

Imagem de câmera de segurança que registra (ao centro no topo da imagem) momento em que o corpo da vítima é abandonado na rua (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Fernando foi levado então até um apartamento na Zona Norte de Porto Alegre, onde foi torturado com requintes de crueldade e depois executado, de acordo com a polícia. Exames da perícia encontraram sangue da vítima no imóvel. A proprietária do apartamento também é investigada por possível envolvimento com o crime, mas não foi presa.

A morte de Fernando foi gravada em vídeo enviada aos mandantes do crime como prova da execução. Segundo a polícia, antes de o matarem, os executores perguntaram se ele sabia porque estava sendo morto, e informaram que tinha ligação com seus relacionamentos passados.

A ex-namorada foi presa no dia 7 de março. Dois homens apontados como executores foram presos no dia 9, e as duas adolescentes suspeitas de participação no crime também foram apreendidas.

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul foi a São Paulo para prender o ex-namorado, um empresário do ramo de publicidade. No entanto, antes de ser preso, ele havia cometido suicídio, ao se jogar do 13º andar de um hotel na capital paulista.

Conforme a delegada titular da 5ª Delegacia de Homicídios, Luciana Smith, à primeira vista, parecia ser um crime ligado a facções criminosas, ao tráfico de drogas no bairro Mario Quintana. Mas quando foram iniciadas as investigações, a polícia fez contato com a família da vítima, e acabou descobrindo um perfil diferente de crime. Isso porque a família já havia registrado o desaparecimento de Fernando, além do excessivo número de facadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *