100 anos da Comunidade Evangélica de Confissão Luterana em Gramado

foto antiga

HISTÓRIA
Em 9 de outubro de 1921, foi criada a Comunidade de Gramado, tendo inicialmente 18 famílias. Registraram-se como membros, entre outros, Rudolf Arend, Arthur Zwetsch, Adolf Jung, Walter Pickbrenner, João Fisch Sobrinho, Alfred Drechsler, Karl Mantey, assim como as famílias Wazlawick e Sperb.
Em 1923, foi construída a capela. O primeiro batismo ali realizado foi o de Almiro Drechsler, em 03.06.1923. Mais tarde, foi batizado Nelson, filho de Rudolf Arend, cujo padrinho, o Major José Nicoletti, deu o nome à praça central da cidade.
Em 01.08.1926, o Pastor Friedrich Julius Ziegler veio da Alemanha para trabalhar em Gramado e, com isso, a comunidade passou a ser sede paroquial, recebendo o nome de Paróquia Evangélica de Gramado. Segundo as estatísticas, no ano seguinte a comunidade já contava com 203 membros, sendo 37 destes contribuintes regulares. O Pastor Ziegler tinha de atender os membros que não residiam na cidade em lombo de mula, uma vez que ainda não havia automóveis à disposição. As distâncias eram calculadas em horas/cavalo.
Ao longo de toda esta história o Senhor Deus demonstrou a sua fidelidade de diversas formas, uma delas se reflete no crescimento da comunidade. Atualmente entre homens, mulheres, crianças e adultos a comunidade é formada por 1561 pessoas. Toda esta história não foi construída de maneira solitária e, assim, lembramos que a comunidade faz parte da Paróquia Evangélica de Confissão Luterana de Gramado. A Paróquia, por sua vez, é formada por outras seis Comunidades: Linha Araripe, Linha Marcondes, Várzea Grande, Quilombo, Serra Grande I e Serra Grande II.

PASTORES
O primeiro pastor com atividade fixa foi Julius Ziegler. Devido às implicações políticas durante a II Guerra Mundial, a língua alemã passou a ser proibida no Brasil e, portanto, os pastores vindos da Alemanha não podiam mais pregar publicamente em alemão. Assim, o Pastor Ziegler foi substituído interinamente pelo seu filho, o Professor Johannes Ziegler, a partir de 1942. O Pastor Friedrich Julius Ziegler se aposentou em 1945.
A partir de 01.08.1945, a Comunidade de Gramado foi assumida pelo Pastor Richard Heinrich, também vindo da Alemanha, que ficou até 1957.
Em 1958, chegou o Pastor Rudolf Wulfhorst, que trabalhou na Comunidade de Gramado até 1963, quando foi sucedido pelo Pastor Valentin Kaffenberger, da Alemanha, que ficou até 1966.
Também em 1966 veio o Pastor Dietrich Falk, em substituição ao Pastor Kaffenberger, que retornou à Alemanha com sua família em 1972.
Neste ano, assumiu a Comunidade de Gramado o Pastor Horst Helmut Bergmann, que era alemão, mas viera ao Brasil para trabalhar no pastorado já em 1933. Ele atuou em Gramado até 1976.
A partir de 1977, o Pastor Albino Trein atuou em Gramado, ficando aqui até 1986. Nessa época, iniciaram os grupos de Estudo Bíblico nos bairros Piratini e Floresta.
Em 1986, o Pastor Paulo Afonso Butzke assumiu a Comunidade, permanecendo até 1990. O Pastor Waldir Humberto Schubert ficou de 1990 a 1994. Nesse período, sentiu-se a necessidade de abrir um segundo campo de trabalho, dada a demanda crescente por atendimento dos vários grupos de trabalho dentro da comunidade – grupo de jovens, OASE, Ensino Confirmatório, Culto Infantil, Grupo de Casais e outros. Assim, veio o Pastor Carlos Niewöhner para trabalhar junto com o Pastor Schubert, em 1993, saindo em 1995.
Em 1996, abriu-se espaço para o serviço de Catequese, e vieram o Pastor Altemir Labes e sua esposa, Catequista Monika Maier. Eles ficaram até 2005.
Em 2003, veio o Pastor Décio Oscar Saft para assumir o segundo campo de trabalho nas comunidades de Gramado e Linha Araripe, permanecendo até março de 2021.
A partir de 01.03.2021, atua na Comunidade Evangélica de Confissão Luterana em Gramado o Pastor Maurício Ronan Nagel.

A IGREJA DO RELÓGIO
Em 1961, a igreja foi inaugurada em ato oficiado pelo Pastor Presidente do Sínodo Riograndense, Karl Gottschald, o qual foi assistido pelos pastores Wulfhorst (local) e Atkinson (Canela). Neste mesmo ano, a Igreja Apóstolo Paulo foi dotada de um relógio, cujo bater das horas se tornou referência para os moradores da cidade. O início da obra ocorreu em 1954.

DOAÇÃO DE QUADRO
Em 1930, a comunidade recebeu como doação da família de João Leopoldo Lied um quadro a óleo, pintado por Maximilian Caspar, pintor que residia na cidade nessa época. Esse quadro retrata Jesus caminhando sobre o lago Genesaré, indo ao encontro de Pedro; até hoje, ele pode ser apreciado por sobre o púlpito, na igreja Apóstolo Paulo (Igreja do Relógio), sede da Comunidade de Gramado.

CASA PASTORAL
Na década de 1980, foi construída a nova casa pastoral onde fora, até então, o pavilhão comunitário. O piso inferior deste prédio foi reformado e serviu como Centro Comunitário até 2005. Atualmente sedia diversas atividades da Comunidade.

CEMITÉRIO EVANGÉLICO
Em 1934, foi inaugurado o Cemitério Evangélico da Comunidade de Gramado, organizado em terraços devido à configuração do terreno em um declive bastante acentuado. Walter Pickbrenner plantou os primeiros ciprestes, hoje já substituídos.

CENTRO COMUNITÁRIO
Em 1999, foi lançada a pedra fundamental do Centro Comunitário Martin Luther, o qual foi inaugurado em 2005. A obra foi liderada pelo membro Hans Brakemeier e foi executada através de doações e eventos. O pavilhão tem 1.905 metros quadrados. Na parte inferior foi construída uma sala comercial para locação. O projeto e a responsabilidade técnica foram da arquiteta e urbanista Karin Brakemeier.

CAMPANÁRIO
Em 1935, inaugurou-se o campanário da capela da Comunidade de Gramado. O sino foi uma doação de amigos do Pastor Ziegler, após ter sido poupado da fundição para fabricação de armas na I Guerra Mundial, por parte do governo alemão da época. É o mesmo sino que se encontra hoje na torre da Igreja Apóstolo Paulo (Igreja do Relógio).

GRUPO SOLIDARIEDADE
Criado em 2002 a partir da reflexão surgida dentro de Grupo de Casais de como ajudar ao próximo motivado pelo Evangelho. Inicialmente, o grupo era constituído pelos casais Rubem e Maria Emília Storch, Gerhard e Ruth Kleine, e Manfred e Leocádia Meirose. Logo teve a adesão de Anibaldo e Edla Ramm, Osmar e Hedy Gottschalk, Amauri e Isolda Vasconcelos Machado, pastor Altemir Labes e catequista Monika Maier, e Armindo e Alma Hausmann. As principais ações eram a distribuição de alimentos e medicamentos, e o custeio de pequenos tratamentos médicos.
Atualmente, o grupo se ampliou, tornando-se uma atividade social importante na cidade, através da confecção de fraldas que são doadas a famílias e hospitais. A primeira máquina foi doada pelo casal Ernestina e Hans Brakemeier.

OASE/GRUPO MARTA
As mulheres têm um espaço importante na história da comunidade. Em 30 de setembro de 1926 ocorreu a fundação da Ordem Auxiliadora de Senhoras Evangélicas – OASE, buscando a comunhão para o fortalecimento da fé. Em 1930, a OASE, denominada Frauenhilfe em alemão, língua corrente na época, já contava com 25 mulheres.
A partir de 2013, esta associação feminina passou a ser denominada Grupo Marta, mantendo os mesmos propósitos. Nesse grupo se destacaram sempre os estudos bíblicos, as visitas e um chá anual, que reverte para as ações do grupo e para as atividades da comunidade.

CAFÉ DOS HOMENS
Grupo que se encontra em um sábado por mês, com o objetivo de debater o Evangelho e trocar experiências, fortalecendo a sua fé e o trabalho em comunidade. Um café encerra os encontros, em que já houve palestras de membros importantes e, inclusive, de autoridades públicas.

JUVENTUDE EVANGÉLICA
O movimento jovem esteve presente na vida da Comunidade em muitos momentos. Um dos registros feitos por Paulo Drecksler na década de 80 revela que, em 23 de outubro de 1983, foi criada a Juventude Evangélica Cristo é Vida. O grupo compunha-se de aproximadamente 15 adolescentes entre 11 e 13 anos. Na formação, segundo registro, foi informado “o propósito de não valorizar somente o lado recreativo, mas também a parte espiritual”. No início de 1984, foram elaborados novos programas para incentivar a participação dos jovens e adolescentes. Entre eles estavam esporte, brincadeiras, concursos bíblicos, cantar no hospital, participação em Olimpíadas Distritais, entre outras ações. A música e o teatro também foram uma ênfase importante do grupo, na época, além de estudos bíblicos.
No momento, a Juventude tem um grupo reduzido de participantes, mas que têm contribuído para o fortalecimento da fé, através de celebrações de louvor.

GRUPO DE CASAIS
É um dos principais movimentos dentro da Comunidade. A partir dele, há 38 anos, nasceram muitas boas ações, como o Grupo Solidariedade, e eventos sociais atrativos como o Cuca com Linguiça. Tem o costume de realizar seus retiros de dois em dois anos, envolvendo ainda mais os casais e suas famílias nas atividades da igreja.

CANTO CORAL
A existência do canto coral na Comunidade é antiga. Na década de 60, por exemplo, teve como regentes os srs. Wedig (que vinha de Nova Petrópolis) e Hans Werner Honscha. No momento o Grupo de Canto tem a regência de Claudia Ziegler, com participações nos cultos e apresentações em eventos especiais da Comunidade.

CULTO INFANTIL
O Culto Infantil tem sido uma das bases importantes da Comunidade Evangélica de Gramado. Na sua trajetória, tem realizado encontros paralelamente aos cultos e também em tardes de sábado. Ao longo do tempo, as equipes de orientadores e orientadoras do Culto Infantil têm envolvido as crianças, incentivando a sua formação cristã através de histórias bíblicas, música e atividades lúdicas. Nesta caminhada de muitos anos se destacaram acampamentos, piqueniques, apresentações em cultos, entre outras atividades.

NOVA IDENTIDADE VISUAL
A nova identidade visual foi feita com o auxílio de membros da comunidade e da Liga Publicidade. Vimos que a nossa presença durante a pandemia ficou maior. Temos feito as transmissões dos cultos ao vivo, fazendo bastante uso das nossas redes sociais. Pensamos que esta era a nossa Comunidade. Por isso usamos a imagem do templo, duas mãos simbolizando o cuidado de Deus – estamos em suas mãos – e três palavras. Pertencer, Viver e Compartilhar. Nosso desejo é que as pessoas pertençam, façam parte da Comunidade Cristã, que vivam também isso, e que a partir deste pertencimento elas compartilhem a sua fé, usando esta palavra muito presente hoje nas redes sociais: compartilhar o testemunho da nossa fé.

Informações Adicionais

  • Ilton Müller
Cid Moreira é a voz do espetáculo Natalis no 36º N...
Decoração do Natal Luz começa a chegar nas ruas de...

Posts Relacionados

Apoiadores

© 2021 BasFas Marketing Services