As igrejas de Gramado e Canela

Janeiro 01, 2021 1976

Além das belezas naturais, Canela e Gramado possuem imponentes símbolos religiosos que se tornam um atrativo turístico, devido à sua beleza e significado. Conheça um pouco mais sobre:

 

Catedral de Pedra de Canela

A construção da Igreja Matriz de Canela teve inicio em 1953 com projeto do arquiteto Bernardo Satori.

-1954: Os alicerces já estavam bem adiantados;

-1955: Ficou definido que a Igreja seria revestida de pedra basalto;

-1964: Foram concluídas as paredes ao redor da antiga Igreja e então se deu a demolição da mesma;

-1965: Foi realizada a colocação do telhado;

-1966: Colocação dos vitrais, que foram doados por pessoas da comunidade;

-1972: Instalado um carrilhão de 12 sinos de bronze (Ficou fora de funcionamento por cerca de 20 anos, voltando a soar em 2005.);

-1978: Foi colocado o forro;

-1982: Piso em pedra basalto;

-1987: Colocada a porta em madeira mogno com escultura gótica de W.Frasson.

Conhecida pelo seu estilo gótico, a Catedral está localizada bem no centro de Canela, na Praça da Matriz, sendo um dos pontos mais visitados do Rio Grande do Sul. A Igreja tem 65 metros de altura.

O cônego João Marchezzi foi uma das principais figuras da história da comunidade católica canelense. Ele foi o grande idealizador da Igreja Matriz e participou desde a primeira romaria e festa em honra a Nossa Senhora de Caravaggio. Seu sepulcro, no interior da igreja, recebe muitas flores.

O altar foi esculpido em madeira pelo uruguaio Júlio Tixe, como o tema de Santa Ceia. A Via Sacra que ornamenta os dois lados internos da Igreja Matriz foi confeccionada por Pablo Orona Herrera, escultor e restaurador de arte sacra. Os quadros são feitos de madeira e argila, tendo ao fundo pintura sobreposta de imagens em argila. Os coloridos vitrais que iluminam a Catedral de Pedra de Canela representam a ladainha de Nossa Senhora. No altar, três painéis pintados pelo artista gaúcho Marciano Schimitz retratam a aparição de Nossa Senhora, a alegoria dos anjos e a anunciação. O mesmo artista assina os brasões dos quatro evangelistas. Nossa Senhora de Lourdes foi escolhida padroeira da paróquia pela comunidade canelense.

 

Igreja Matriz São Pedro

Foi construída originalmente em madeira, como capela, em 1917 e depois em pedras, em 1943. A construção levou 8 anos para ficar pronta e é uma das maiores demonstrações de religiosidade dos fiéis gramadenses. A estrutura montada em pedra basáltica bem no centro de Gramado tem vitrais sacros que causam belos efeitos luminosos, todos lembrando as passagens da vida do Apóstolo Pedro ao lado de Cristo. Sua torre tem 46 metros e inspira uma oração especial a São Pedro, padroeiro da cidade.

A Igreja Matriz iniciou como Capela São Pedro, em 07 de setembro de 1913. A paróquia foi criada e instalada em 07/03/1917. Na época nasceu uma capela de madeira transformada em matriz.

A altura da torre é de 44,30 m. Foi construída com pedra basalto e parede dupla. Aproximadamente 72 mil pedras. A igreja matriz possui estilo arquitetônico romano (ogivas redondas). Possui um sino de mil quilos, em bronze, aço e estanho da empresa Bellini – Canoas/RS.

 

Igreja do Relógio – Igreja Evangélica de Confissão Luterana Apóstolo Paulo

 

Dedicada ao apóstolo Paulo, a Igreja Evangélica de Confissão Luterana do Brasil – IECLB foi inaugurada em 05 de fevereiro de 1961. Sua construção no alto de um morro e seu relógio fazem parte de um cenário que fica ainda mais bonito no verão, quando um tapete de hortênsias floresce ladeando a construção, que tornou-se um dos cartões postais de Gramado.

As duas principais atrações da igreja evangélica são o sino e o relógio. Seu sino foi fundido em 1826, na Alemanha. E os relógios, datados de 1964, podem ser vistos no topo da torre em suas quatro faces.

 

Pequenas Igrejas e Capelas

Se você tiver a oportunidade, no interior de Gramado e Canela também existem pequenas Igrejas e/ou Capelas. As construções são mais simples e humildes, mas tem todo o charme do interior, além de carregar uma grande carga histórica, afinal, houve uma época em que não havia nada nos centros das cidades, e toda a população vivia no interior.

Essas Capelas além do propósito religioso, por vezes, também serviam como local para bailes e eventos, pois construiam-se pavilhões ao lados das Capelas.

 

Informações adicionais

  • Texto: Thaís Fassbinder

Apoiadores

© 2021 BasFas Marketing Services