Região Metropolitana de Porto Alegre tem 175 presos em delegacias ou carros da polícia

A superlotação no sistema carcerário do Rio Grande do Sul faz com que 175 presos fiquem aguardando vagas em penitenciárias dentro de delegacias ou em veículos da Brigada Militar na tarde deste domingo (16) em Porto Alegre e na Região Metropolitana. Os números foram divulgados pelo Departamento de Polícia Metropolitana, da Polícia Civil.

A delegacia de Canoas apresenta a situação mais crítica, com 57 pessoas detidas, seguida por Gravataí (33), São Leopoldo (20), Alvorada e Novo Hamburgo (19 cada) e Viamão (11). As duas delegacias de Pronto Atendimento (DPPAs) de Porto Alegre somam 16 presos.

Além dos 175 presos, outros 81 estão temporariamente no Instituto Pio Buck, na capital, para onde foram levados os apenados que estavam no Trovão Azul, ônibus-cela desativado no final de maio. Com isso, o total de pessoas aguardando transferência para presídios é de 256.

Por meio de nota, a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) informou que acompanha o surgimento de novas vagas em cadeias para acomodar os presos.

"A Susepe, por meio do Departamento de Segurança e Execução Penal vai seguir assistindo as necessidades dos eventuais detidos, até que estes sejam encaminhados para estabelecimentos prisionais onde abrirem vagas. O trabalho de gerenciamento e monitoramento de novas vagas no sistema prisional seguirá sendo realizado ostensivamente pela Susepe", diz o texto.

Copyright

© G1 - Globo

Incêndio destrói fábrica de peças para caminhões e...
Venezuelanos participam em Porto Alegre de plebisc...