Redação Onde.ir

Nova ambulância do Samu começa a rodar em Gramado

img-9.jpg

A nova ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) começou a rodar em Gramado. Desde a última terça-feira (21), o atendimento móvel de urgência à população é feito com o veículo recebido em janeiro do governo federal. A ambulância está com toda a documentação regularizada, com o seguro obrigatório junto ao Detran e o seguro total, exigido pelo termo de doação do veículo, em dia.

A ambulância foi recebida no dia 9 de janeiro pelo prefeito Fedoca – João Alfredo de Castilhos Bertolucci (PDT) e pelo secretário de Saúde, João Teixeira, durante solenidade no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. A entrega do veículo foi realizada pelo presidente Michel Temer, juntamente com os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Ricardo Barros (Saúde), Osmar Terra (Desenvolvimento Social) e o governador do Estado, José Ivo Sartori.

Inicialmente, quando recebeu a ambulância, a prefeitura esbarrou em questões burocráticas para o emplacamento do veículo por conta da emissão de uma nota fiscal errada, enviada pela indústria automotiva. Os trâmites que travavam a utilização do veículo, não oriundos do Executivo Gramadense, foram solucionados e a ambulância foi emplacada.

“Fizemos um esforço muito grande para resolver a situação da nota fiscal e, posteriormente, agilizar o pagamento do seguro total e a contratação do seguro obrigatório. Este último, por exemplo, não são todas as companhias que fazem, o que tornou o processo ainda mais demorado. A imprensa tem noticiado que grande parte dos veículos recebidos estão parados. A ambulância em Gramado está rodando, atendendo a nossa população com qualidade”, explicou o secretário João Teixeira. A ambulância que foi substituída pela nova deixa de ser usada no Samu e está à disposição da secretaria.

Gramado foi um dos 61 municípios gaúchos beneficiados na entrega da nova frota, escolhido a partir de critérios técnicos, como desgaste do veículo ou tempo de uso, substituindo os que têm até cinco anos de circulação sem renovação. No dia 20 de fevereiro, um levantamento publicado pelo jornal Zero Hora mostrava que 49 das 61 ambulâncias não estavam operando por entraves burocráticos, dificuldades no emplacamento ou na confecção do seguro obrigatório. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *