Redação Onde.ir

Oficinas da Cozinha Experimental iniciaram domingo

As oficinas da Cozinha Experimental promovidas em parceria com o Senac-Gramado iniciaram neste domingo, 08. O público que lotou os espaços do 11º Festival de Cultura e Gastronomia pôde conferir as quatro aulas que remeteram ao Chile. Duas delas, promovidas pelos chefs chilenos Antônio Moreno e Rodrigo Acuña. A sommelier de azeites Chania Chagas e a professora no curso de gastronomia da UCS Hortênsias, Kátia Souza, também falaram sobre as delícias do país convidado. Azeites chilenos e o clássico prato Charquicán foram os temas.


Rodrigo Acuña

O chef Rodrigo Acuña, do restaurante e vinícola Milla Milla – Vik ensinou as tradicionais empanadas chilenas, para uma sala cheia e atenta. O chef, que já realizou o jantar harmonizado no último dia 06, no Josephina, comenta que já havia cozinhado em Gramado em outra oportunidade. “A recepção daqui é incrível, só encontro pessoas amáveis e carinhosas e o Festival está maravilhoso”, comenta. “Estou também impressionado com a qualidade dos vinhos, sobretudo dos brancos e espumantes. Há a possibilidade de um projeto em conjunto entre Brasil e Chile através dos vinhos”, conta Acuña.

Festival de Cultura e Gastronomia de Gramado_Cozinha Experimental – Oficina Chilena, Produtos Locais: cozinha de vanguarda com produtos de Gramado com o Chef Antonio Moreno. Foto Cleiton Thiele/SerraPress

Antônio Moreno

O chef Antônio Moreno , do Restaurante Puerto Claro, propôs uma aula sobre a cozinha de vanguarda feita com produtos encontrados em Gramado. A opção foi uma lagosta com salsa e manteiga. Quando questionado sobre as semelhanças e diferenças das gastronomias chilena e brasileira, Moreno contou o motivo pela qual escolheu esse tema. “Tanto aqui como no Chile se consome muita carne de vaca, creio que os dois países não aproveitam bem o mar. Não vi em Gramado nenhum restaurante especializado em pescados ou mariscos, sempre há muita carne e massas. No Chile acontece o mesmo. Temos que romper um pouquinho esse esquema. Por isso, propus essa aula com produtos encontrados aqui, mas que permitam outras possibilidades”, comenta o chef.

Moreno conta, também, que já conhecia o Brasil, mas que ainda assim está muito surpreso com a recepção, com as pessoas e com as excelentes matérias primas disponíveis. “Eu conhecia o Brasil da praia, do calor. Já estive em Cuiabá, Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro, mas agora não sabia muito bem para onde vinha, e estou encantado.”

Antônio Moreno permanece em Gramado e está à frente do festim que acontece nesta terça-feira, 10, no restaurante Wood, já com convites esgotados.

Foto: Cleiton Thiele/SerraPress

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *