Redação Onde.ir

Um século dedicado ao turismo: projeto resgata pioneirismo de Gramado

Entre as ações, estão o lançamento de um selo comemorativo, publicação de um livro, palestras e exposições

 

Há 100 anos, o povo de Gramado começou a construir a sua história de sucesso. Em 1918, o Hotel Bertoluci, o primeiro da cidade e que, portanto, recebeu também os primeiros hóspedes, que vieram à região em busca de negócios. No ano seguinte, o trajeto das cidades próximas à capital até a serra gaúcha já podia ser feito de trem, dando de fato o pontapé inicial para que mais visitantes conhecessem aquela que se tornaria o maior destino turístico do Sul do Brasil, o 2° do país e o 5° da América do Sul: a cidade de Gramado.

Com o intuito de mostrar o lado humano desse século de história, a administração municipal apresentou nesta terça-feira (16), em uma coletiva de imprensa, o projeto “Gramado: 100 anos de turismo”. O encontro ocorreu no Hotel Bertoluci, e além da imprensa e convidados, contou com a presença de autoridades, como o Prefeito João Alfredo Bertolucci, o Fedoca, o Vice-prefeito Evandro Moschem, os secretários José Carlos Ramos de Almeida (Turismo), Gilça Silva (Educação), Allan John Lino (Cultura), Paulo Volk (Indústria e Comércio) e Julio Dorneles (Administração), e os secretários adjuntos Anderson Boeira (Governança e Desenvolvimento Integrado) e Rosângela Potter (Turismo).

Uma equipe de historiadores tem buscado recuperar acontecimentos importantes, e todas estas memórias serão transformadas em um acervo que ficará à disposição da comunidade, colaborando para que seja possível compreender de que forma uma cidade pequena em extensão e em número de habitantes conseguiu se destacar nacional e internacionalmente no setor turístico através do empreendedorismo e do trabalho, com suas belas paisagens, tranquilidade e hospitalidade.

“Esse é um momento histórico. Gramado sempre protagonizou, fez a primeira Festa das Hortênsias com apenas um ano de vida. Isso é sinal da pujança do empresariado e do trabalho de toda a comunidade. Nosso agradecimento especial à equipe protagonista deste processo. Temos certeza que vocês vão radiografar a genuína história do turismo de nossa cidade. Estamos ansiosos pelo resultado”, ressaltou o Prefeito Fedoca durante o evento.

Capitaneados pelo Gabinete do Prefeito e pelas secretarias da Administração, de Governança e Desenvolvimento Integrado, de Turismo, da Educação e da Cultura, os historiadores Iraci Casagrande Koppe, Sebastião Fonseca de Oliveira, a professora de História Andréia Mariana Fattori Franzen e Maurício Daros Franzen, filho da historiadora Marilia Daros (in memoriam), juntos do jornalista Ilton Müller, são os responsáveis por esta grande pesquisa que resultará, além do acervo histórico, em um livro comemorativo. Toda a pesquisa e o livro serão produzidos de forma voluntária pela equipe. Andréia Franzen é guardiã do acervo da historiadora Marilia Daros. A publicação é uma continuidade do trabalho de pesquisa voluntária que Marilia, Iraci e Sebastião têm feito há muitos anos.

Ainda será confeccionado um material para distribuição nas escolas do município e para a divulgação turística. Exposições retratando as memórias colhidas serão apresentadas, bem como palestras sobre o projeto e uma homenagem aos personagens, muitos anônimos, que fizeram com que Gramado tivesse este destaque mundo afora.

Os alunos do EducaVídeo produzirão um documentário, onde todas estas histórias, que transformaram Gramado neste sucesso turístico, serão mostradas em um lançamento durante o 47º Festival de Cinema de Gramado. As atividades comemorativas devem encerrar no Dia Internacional do Turismo, em 27 de setembro de 2019.

Com este legado, a administração municipal busca compreender o passado e projetar o futuro, focando nos seus principais eixos, o desenvolvimento sustentável e a hospitalidade. “Há de se valorizar àqueles que tiveram a visão empreendedora. Mesmo com as dificuldades que se apresentaram, sempre se inovou em Gramado, e desde esta época o povo sempre foi acolhedor”, salientou o secretário de Turismo, José Carlos Ramos de Almeida.

O projeto “Gramado: 100 anos de turismo” é coordenado pelo secretário adjunto de Governança e Desenvolvimento Integrado, Anderson Boeira, e pela diretora do Arquivo Histórico, Karen Dinnebier.

Selo comemorativo – o publicitário Gramadense Rodolfo Moschen foi o responsável pela criação do selo alusivo aos 100 anos da trajetória do turismo da cidade, e está doando a marca ao município.

 

Da esquerda pra direita: o Secretário adjunto de Governança e Desenvolvimento Integrado, Anderson Boeira, o filho da historiadora Marilia Daros (in memoriam), Mauricio Franzen, a professora de História, Andréia Franzen, os historiadores Iraci Casagrande Koppe e Sebastião Fonseca de Oliveira, o proprietário do atual Hotel Bertoluci na cidade, Gersi Bertoluci, o Prefeito Fedoca, o jornalista Ilton Müller, e a diretora do Arquivo Histórico, Karen Dinnebier.

 

 

A contribuição de Leopoldo Rosenfeldt

Um dos atores que contribuíram para a construção do turismo de Gramado foi Leopoldo Rosenfeldt. O seu neto, o empresário Fabio Bertoluci, apresentou um pouco de sua história durante o evento desta terça-feira (16).

Em 1935, Leopoldo Rosenfeldt veio para esta região. Dois anos depois, criou o Lago Joaquina Rita Bier, e em 1942, o Lago Negro. Já em 1948, elegeu-se vereador do município de Taquara, representando o distrito Gramado. Em 1955, integrou a comissão emancipacionista da cidade, tornando-se vice-prefeito, atuando ao lado de Walter Bertolucci, o primeiro prefeito de Gramado, pai de Fedoca.

“Ele tinha como princípio fundamental a dedicação às pessoas que aqui viessem para que retornassem plenamente satisfeitos. Teve iniciativas de fazer um turismo de qualidade, divulgando a cidade. Tinha uma visão limpa do que queria e se empenhou até o fim da vida para que isso acontecesse. Na época da Guerra, a população civil foi proibida de ir visitar o litoral e o meu avô criou uma programação especial: Gramado, maravilha de veraneio. Ele tinha um sentimento, um encanto com esta cidade, que o motivava muito”, ressaltou Fabio.

Leopoldo Rosenfeldt é considerado um dos pioneiros do turismo Gramadense e faz parte deste processo de crescimento e desenvolvimento. Ele faleceu em 1961.

 

Da esquerda pra direita: o Secretário adjunto de Governança e Desenvolvimento Integrado, Anderson Boeira, o empresário Fabio Bertoluci, neto de Leopoldo Rosenfeldt, o Prefeito Fedoca, o Secretário de Turismo, José Carlos Ramos de Almeida, e a diretora do Arquivo Histórico, Karen Dinnebier, durante apresentação do projeto na coletiva de imprensa.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *